terça-feira, 25 de maio de 2010

Espelho, espelho meu...

Oi pessoal... Ou melhor, Oi meus LINDOS amigos e leitores...

Acabei de ler um livro do autor brasileiro Augusto Cury, chamado O Vendedor de Sonhos. Já leram?

Eu confesso que não foi um dos melhores que já li, até o deixei abandonado na cabeceira da cama por um bom tempo e em alguns momentos achei o livro um pouco cansativo. Até cheguei a pensar em abandona-lo e começar a ler um outro livro mais emocionante, mas não gosto de parar as coisas pela metade e continuei lendo, até chegar a um capítulo super interessante que me chamou a atenção.

Não vou ficar falando sobre o livro, mas se me permitem, gostaria de dividir com vocês alguns trechos.

"O sistema social é astuto, grita quando precisa se calar e se cala quando precisa gritar. O sistema se esqueceu de gritar que a beleza não pode ser padronizada."

"Noventa e sete por cento das mulheres, em algumas sociedades modernas, não se vêem belas. Por isso, em cada loja de roupa e em cada etiqueta deveria haver uma tarja semelhante à da advertência contra o cigarro com frases como esta: "Toda mulher é bela. A beleza não pode ser padronizada."

"Quando as mulheres estão diante do espelho, dizem uma famosa frase, ainda que sem consciência. Qual é? As mulheres responderam coletivamente: "Espelho, espelho meu, existe alguém mais bonita do que eu?". Não! Elas dizem assim: "Espelho, espelho meu, existe alguém com mais defeitos do que eu?"


O que vocês acham sobre isso? Esse não é um assunto tão simples assim. Por que as mulheres hoje em dia não se acham extremamente bonitas? É claro que existem exceções...

Eu já tive crises de baixo auto-estima como qualquer ser humano normal e aconteceram principalmente quando estudava. Na escola, sempre recebia apelidos de mau gosto de algum coleguinha que estava ali para zoar as meninas que tinham alguma fraqueza. Eu sempre fui muito alta (a mais alta da sala) e magra, usava aparelho e tinha o cabelo longo e queimado do sol. Minhas melhores amigas batiam quase na minha cintura e devido a essa diferença toda, a atenção era sempre voltada para mim. De Olívia palito à Espanador da lua, era assim que me chamavam...

Sorte que sempre fui uma pessoa tranqüila e isso nunca me irritava, mas isso não era algo que fazia eu me achar uma das mais bonitas da sala, ou “bonitinha”... talvez no grupo das simpáticas??? Hahahaha...

Hoje me sinto bonita e adoro o que reflete no meu espelho todos os dias... Aprendi a amar até o que odiava no passado, o que já chamei de defeito, hoje em dia, chamo de característica da minha personalidade, como o meu nariz saliente e “quebradinho”...

Para mim, não existe um padrão de beleza a ser seguido, todos nos temos uma beleza diferente. O importante mesmo é nos amar do jeito que somos. Não existe nada melhor do que amar a si próprio, nos respeitar e acima de tudo fazer o que nos faz bem.

Não esqueçam: TODA MULHER É BELA. A BELEZA NÃO PODE SER PADRONIZADA.

10 comentários:

ALAN ADI hoje disse...

Às vezes, chegamos a nos perder e nos preocupar com as tolices das padronizações por convivermos em constantes estados de crise. Interessante teu relato por sabermos que foi na moda, este universo que é tão debatido por sua rigorosidade, que tua beleza não foi encarada como fraqueza.
abraços.

Juliane disse...

Você sempre foi linda Bruna, e não estou falando do "Você é bonita por dentro"
Eu estou falando do Por fora, o problema é que as pessoas so acham bonito quem tem olhos claros, cabelos loiros,...
Lembra quando os meninos la da escola nao acreditavam que você era modelo?
Hoje ele babam pro você e fazem questão de dizer "Eu estudei com a Bruna Tenorio"

Mesmo distante e sem contato, eu continuo a observar as suas conquistas que começaram la no Shopping, no desfile que você mim convidou e eu fiz questão de ir.
Saudades Bruna.

Juliane Batista

Marlison cortez disse...

amei o post...vo até fal sobre isso no meu...

Carol disse...

eu estudo publicidade e acho que boa parte dessa culpa é das campanhas, revistas, tv e do público tb. ninguém quer ver coisas que julgam ser feias e acabamos vendendo o irreal. já fiz fotografia para um agência e fiquei MTO impressionada a quatidade de photoshop que usaram. amo photoshop é uma ferramenta super util, mas tem gnt que exagera e daí vem esse números preocupantes.

quando era menor era igual a vc. a mais magra, mais alta da turma, usava aparelho E óculos! HAHA mas entendo que a adolescencia é uma fase, boa, cheia de inseguranças, mas que passa e depois disso é hora de ser vc mesma :}

super legal o post!

beeijo;*


http://blogmadeonearth.wordpress.com

fashionconsultantvv disse...

Beleza padronizada é coisa pra pessoas inseguras, que, para se sentirem bem precisam estar iguais às outras, dum jeito que "ninguém" lhes reprove a aparência.
Mas querer agradar a todos é ilusão. Assim, é bem mais bacana procurar todos os motivos pra gostar de si mesma, sentir-se linda e agradar a si mesma. Uma auto-estima fortalecida é um dos melhores "produtos" de beleza, algo que deixa sempre a pessoa mais bela.

Bjs

Kelly Juliana disse...

Oiii...
Entrei no seu blog por acaso* e me identifiquei com você, temos a mesma idade e sofri muito no colégio pela minha altura e magreza. Já tive anorexia e em todos os lugares que ouvimos falar nessa doença, falam: "elas acham que não estam magras, querem emagrecer mais...". Pra mim isso é mito, eu queria engordar quando estava muito abaixo do meu peso, sei que muitas que sofrem disso também pensam o mesmo. Atualmente estou feliz com meu corpo e tenho o sonho de ser modelo também. É muito bom descobrir que alguém desse meio já foi como uma garota normal*, que sofreu o que qualquer garota deslocada da modinha* do momento já sofreu. Adorei seu trabalhos!!

L disse...

Ai, Bruna, que post ótimo. Aliás, que blog autêntico e bem escrito.
Quer dizer que, além de top model, você ainda é essa pessoa doce, tranquila, atenciosa e inteligente? Inteligente o bastante, inclusive, para partilhar um trecho interessante que viu em um livro, e ao mesmo tempo conseguir criticar objetivamente esse livro.
Torço pelo seu sucesso.
Beeeijos!

Fênix27 disse...

Realmente a beleza não pode ser padronizada.Mas muitas mulheres não tem recursos para manter sua beleza exterior, e acabam se sentido feias e o espelho que revela a sua verdadeira imagem, esta mulher ao se ver fica triste pois não se axa bela.
Sua postagem é 10.
Tenha sempre sucesso.
Uma abraço.

Cleomar Alves disse...

Você leu O vendedor de sonhos não leu?

Monster disse...

Monster Headphones